Joanna Maranhão mantém reclamação sobre falta de apoio






Dois dias depois de a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos responder às críticas de Joanna Maranhão por falta de apoio, feitas duas semanas atrás no Troféu Maria Lenk, a nadadora voltou à carga. De acordo com a entidade, Joanna recebe auxílio sistemático do patrocínio dos Correios proporcional ao seu índice técnico desde 2004. Ela teria ficado períodos sem o apoio por não se enquadrar neste critério, mas atualmente faz parte dos atletas patrocinados pelos Correios. Sem citar o nome do presidente da CBDA, Coaracy Nunes, a pernambucana desabafou no perfil de sua rede social:

- Eu poderia trazer a público as cópias dos contratos de 'apoio' e 'patrocínio' que a nota enviada por sua assessoria de imprensa diz que eu tenho desde 2002. Poderia somar os meses que recebi ajuda de SUA confederação nesses 11 anos. Com certeza não chegariam aos 132 meses que pela nota enviada, recebi apoio. Pera, desculpe, a nota diz que não recebi apoio quando não me inseri nos critérios, não é isso? Só uma pergunta: que critérios? Ter sido semi-finalista olímpica em Londres por acaso foi critério de exclusão? - disse a atleta, ouro nos 400m medley no Troféu Maria Lenk.

Natação Maria Lenk Joanna Maranhão (Foto: Satiro Sodre/SSPress)Joanna Maranhão rebateu a resposta da CBDA a respeito de suas críticas (Foto: Satiro Sodre/SSPress)

Segundo a CBDA, Joanna teria perdido o prazo da assinatura do contrato e da entrega do material para receber o auxílio da entidade e do Programa Bolsa Atleta. Para solucionar este último, a entidade teria intercedido por ela no Ministério do Esporte. No Projeto Pódio, a nadadora não foi incluída por não atingir o critério exigido: estar entre as 20 primeiras do ranking mundial em sua prova. Ela também teria acesso à equipe multidisciplinara da entidade. 

- Desisto de tentar mudar, desisto de brigar sozinha - desabafou Joanna.

Confira a íntegra da nota da nadadora:

"Hoje foi liberado na imprensa uma 'resposta' da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos em relação aos meus inúmeros pedidos de ajuda. Tudo que posso dizer é 'Presidente, o senhor venceu'.

Sim,o senhor venceu porque é impossível lutar contra um 'governo' de mais de 20 anos, é difícil fazer barulho com um grito solitário.
Eu não possuo assessoria de imprensa, 'staff' que trabalha pra mim balançando a cabeça positivamente para todas as minhas vontades. Não tenho e nem pretendo ter.
Minhas 'armas' são: meu talento, meu amor pela natação e minha vontade de ver uma realidade diferente.
Não duvido que outros tantos nadadores queiram isso tanto quanto eu, mas eles nada fazem.

Eu poderia trazer a público as cópias dos contratos de 'apoio' e 'patrocínio' que a nota enviada por sua assessoria de imprensa diz que eu tenho desde 2002. Poderia somar os meses que recebi ajuda de SUA confederação nesses 11 anos. Com certeza não chegariam aos 132 meses que pela nota enviada, recebi apoio. Pera, desculpe, a nota diz que não recebi apoio quando não me inseri nos critérios, não é isso? Só uma pergunta: que critérios?
Ter sido semi-finalista olímpica em Londres por acaso foi critério de exclusão?

Sim, porque logo após Londres meu 'apoio' não foi renovado…
Enfim, como eu disse no início, o senhor venceu! Continuará por mais 4 anos no comando da Confederação com seus atletas fantoches colocando #'s, apertando sua mão, indo a eventos e comemorando a evolução da natação brasileira!
Desisto de tentar mudar, desisto de brigar sozinha. Agora optei por outro caminho e mesmo não lhe devendo explicações quanto aos meus planos, lhe digo mesmo assim:

Enquanto eu for atleta de alto rendimento, farei com responsabilidade, disciplina e vontade, apesar do meio me entristecer e assim que eu entrar na transição e deixar de ser atleta, formarei novos atletas e esses, senhor presidente, o senhor pode ter certeza que além de aulas e treinos de natação, serão ensinados o VERDADEIRO valor do esporte, que vai muito além de nadar rápido e receber tapinhas nas costas de cartola.

Parabéns por mais essa vitória.
Att,
Joanna Maranhão




Comente:

Nenhum comentário