Thiago Pereira comemora 'surpresa' nos 400m medley






O batalhão de microfones estava todo voltado para Cesar Cielo. Mas, enquanto o amigo tentava responder o que deu errado na final dos 50m livre, Thiago Pereira mantinha o sorriso no rosto. Afinal, a surpresa que havia batido à porta era das boas. Durante todo o ciclo olímpico, o foco foi nos 200m medley. Ele acreditava que a chance de subir ao pódio nos em Londres estava ali. Mas foi nos 400m medley, deixado em segundo plano, que o nadador levou a prata olímpica.

natação thiago pereira após a coletiva de imprensa na Somerset House (Casa Brasil) londres 2012 (Foto: Satiro Sodré / Agif)

- Eu fiquei satisfeito com as minhas provas. Não só com o tempo, mas pela satisfação de bater na borda e saber que você deu seu máximo. É a melhor sensação que tem. Por mais que esteja doendo, fica a sensação de dever cumprido. Independentemente de medalha, qualquer coisa. Fiquei feliz de conquistar a prata em uma prova que, inicialmente, não estava muito focado. Estava me preparando muito mais para os 200m medley, onde fiquei em quarto mais uma vez. Não tenho do que reclamar, não poderia ir além daquilo. Dei uma cansada nos últimos 50m, mas faria tudo de novo.

Thiago festejou a prata como se fosse um ouro. Recordista de medalhas em Jogos Pan-Americanos, com 18, o nadador não quis comparar sentimentos. Depois de bater na trave em Atenas e Pequim, o nadador de Volta Redonda se disse um privilegiado.

natação thiago pereira Cesar Cielo após a coletiva de imprensa na Somerset House (Casa Brasil) londres 2012 (Foto: Satiro Sodré / Agif)

- A medalha olímpica é um sonho, claro, mas no Brasil, infelizmente, sempre tem essa comparação. Eu sei a diferença das Olimpíadas para o Pan. Não é nem o caso de calar ninguém, é uma satisfação pessoal. Já me perguntaram se eu trocaria todas medalhas do Pan por uma olímpica, e eu disse que não. Cada prova tem um sabor especial e diferente. Essa medalha não foi fácil, sempre ouvi muita coisa. De que nunca chegaria na frente dos três (Michael Phelps, Ryan Lochte e Laszlo Cseh), e acabei conseguindo. Abri mão de muita coisa nos últimos quatro anos e deu certo.

Daqui para frente, Thiago não pensa em mudar sua rotina. Mesmo com a medalha pendurada no pescoço, o nadador diz não estar satisfeito e garante que manterá o foco nas competições.

- Os próximos anos vão ser iguais: muito treino, muita competição. Claro que a medalha é o resultado de muito trabalho, não vem da noite para o dia. Sabemos o quanto é difícil estar aqui, o que já passamos desde pequenos. As coisas estão melhorando e vou continuar batalhando, apesar de ter a medalha.

Comente:

Nenhum comentário