Fratus e Chiereghini se juntam a Cielo e Nicolas no 4x100m livre de Londres






Oito candidatos caíram na piscina do Parque Aquático Maria Lenk em busca de um dos dois lugares disponíveis no revezamento 4x100m livre do Brasil em Londres. A última chance de classificação na Tentativa Olímpica, no entanto, em nada mudou a formação do quarteto depois do Troféu Maria Lenk, há duas semanas. Bruno Fratus e Marcelo Chiereghini se juntam a Cesar Cielo e Nicolas Oliveira em uma das provas mais cobiçadas da natação.

Bruno Fratus na Tentativa Olímpica (Foto: Satiro Sodré / Agif)

A última chance de beliscar uma vaga na equipe do revezamento era na final dos 100m livre da Tentativa Olímpica, neste sábado. Todos nadadores, porém, fizeram tempos distantes das marcas de Bruno Fratus (48s73) e Marcelo Chierighini (48s78). Nenhum dos dois, aliás, pôde "defender" suas posições. Fratus, que já estava garantido em Londres, não passou para a final deste sábado. Chierighini, que mora nos Estados Unidos, teve de voltar para fazer provas na faculdade e ficou fora da competição. Quem se aproximou mais da marca da dupla foi João de Lucca, que bateu em primeiro, com o tempo de 49s47.

- Eu nadei o Maria Lenk, nadei as seletivas... Só que, depois do Maria Lenk, a gente já começou a treinar para as Olimpíadas. Acabei nadando de manhã, com um tempo bem alto, como parte da série de treinamento. Fiz o treino inteiro, peguei uma bermuda emprestada e cai para nadar. Eu fiquei nervoso assistindo ali, mas não estava torcendo contra. Estava torcendo para eles nadarem rápido para nós ficarmos bem competitivos no revezamento – disse Bruno Fratus, que assistiu da arquibancada à definição do quarteto.

João de Lucca na Tentativa Olímpica (Foto: Satiro Sodré / Agif)

Cesar Cielo e Nicolas Oliveira, que não participaram da Tentativa Olímpica, já tinham as duas primeiras vagas no quarteto garantidas. Os dois serão os representantes do país na prova individual dos 100m livre. Além dos quatro, o Brasil ainda tem chance de levar um ou dois nadadores como reservas. A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) negocia com a Comitê Olímpico Brasileiro essa possibilidade.

Caso o país leve mais dois nadadores para essa prova, Nicholas Santos e João de Lucca, donos do quinto e do sexto melhores tempos dos 100m livre, carimbam o passaporte para Londres. A CBDA vai divulgar a lista oficial da delegação brasileira em Londres no próximo dia 18. Até agora, o Brasil tem 18 classificados e pode chegar a 20.

- O que eu escutei é que estavam mais ou menos certas as vagas dos reservas, até o sexto. Mas o objetivo era mesmo estar entre os quatro. Mas, se tiver que nadar representando o Brasil nas Olimpíadas, vou fazer o meu melhor e tentar nadar para 48s50, 48s30. Agora é esperar – disse Nicholas.

Nicholas Santos na Tentativa Olímpica (Foto: Satiro Sodré / Agif)

Entre as mulheres, que ainda disputavam as duas vagas na prova individual dos 100m livre, ninguém passou perto do índice: 54s57. Jessica cavalheiro foi quem chegou mais próxima, com o tempo de 56s80, seguida por Larissa Martins (56s97) e Roberta Albino (57s25).

No fim das disputas deste sábado, o revezamento 4x100m medley feminino tentou bater o índice para as Olimpíadas: 4m02s71. O quarteto formado por Fabíola Molina, Ana Carla Carvalho, Joanna Maranhão e Tatiana Lemos, no entanto, fez o tempo de 4m05s98.



Comente:

Nenhum comentário