Fabíola Molina volta às piscinas na briga por Londres-2012





Fabiola Molina natação Guadalajara aclimatação Pan 5.10.2011 (Foto: Divulgação / COB)

Foram quatro meses longe das competições. Mas não parada. Depois de cumprir a suspensão estipulada pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) por caso de doping, Fabíola Molina volta às piscinas direto para o Troféu Maria Lenk, de terça a sábado, no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro. Na competição, terá a importante missão de buscar a classificação para os Jogos Olímpicos de Londres, deixando para trás de vez o triste episódio do ano passado. As finas serão transmitidas ao vivo pelo SporTV, a partir das 19h.

Ano novo, vida nova. A experiente nadadora de 36 anos passou os últimos meses arrumando sua nova casa, nos EUA, onde está morando e treinando com o marido Diogo Yabe. Equilibrando as funções de empresária, atleta e dona de casa, Fabíola se vê pronta para o desafio de chegar aos Jogos Olímpicos pela terceira vez.

- O Maria Lenk é a competição onde todos estarão se preparando, é uma competição excelente, e a que eu estou focando. Treinei muito, fiz uma parte física diferenciada, sempre com disciplina, determinação e vontade de melhorar cada vez mais. Estou confiante e preparada – disse a nadadora, que vai em busca da vaga nos 100m costas.

O retorno em uma competição tão importante como o Maria Lenk, penúltima seletiva olímpica, foi um incientivo a mais para Fabíola não perder o ritmo nesses últimos quatro meses. Embora também tenha se dedicado à sua carreira de empresária de uma marca de roupas de banho, a natação continuou sendo sua prioridade.

- Meu foco ainda é 100% a natação, e continuei fazendo meu trabalho junto à grife como sempre. Lançamos o nosso catálogo com a coleção nova com antecedência esse ano. Cada coleção é sempre bastante trabalho, mas nada que interfira nos treinos.

Na próxima semana, as energias estarão concentradas na tentativa de entrar na equipe feminina que vai a Londres. Joanna Maranhão, Graciele Hermann e Daynara de Paula já estão classificadas. Fabíola, que esteve em Sydney-2000 e Pequim-2008, acredita que o grupo ainda pode ganhar novos nomes.

- Estou torcendo para que essa lista aumente bastante ainda. Tomara que os revezamentos se classifiquem e, em provas individuais, muitas meninas ainda têm chance. Além dos 100m costas, principalmente os 50m livre, 100m livre, 200m livre, 400m livre e 100m borboleta. Vejo a equipe passando por uma transição, com a Joanna, que já foi finalista em 2004, a Daynara, que já foi a Pequim, e a Graciele, que está despontando agora. Então temos um pouco de cada geração.

Em maio do ano passado, Fabíola foi julgada pela Confederação Brasileira de Deportos Aquáticos (CBDA) após testar positivo para a substância methylhexaneamine, na Tentativa para o Mundial, em abril. A entidade brasileira optou em suspender a nadadora por dois meses. A Federação Internacional de Natação, no entanto, recorreu da decisão ao Tribunal Arbitral do Esporte. Após uma audiência realizada em dezembro, o tribunal impôs a punição de seis meses.

A contagem começou no dia 20 de dezembro. O TAS, porém, considerou os dois meses de suspensão já cumpridos após decisão da CBDA, em 2011. Com isso, o período terminou na última sexta-feira.



Comente:

Nenhum comentário